sábado, 13 de maio de 2017

A vontade de Deus


Nós vacilamos diante da vontade de Deus, nós a desejamos, mas em nosso íntimo sabemos que ela é boa, perfeita e agradável para Ele e não para nós. Sabemos que vivê-la nos trará desconfortos, nos tirará o sono, nos custará lágrimas, suor, renúncia, então nossa carne se manifesta, se debate em rebelião contra, porque o que nos interessa no fim, é sempre o que nós queremos. A carne humana, ardilosa, cria então meios de bular isso, sem ferir nossa consciência cristã e sem agredir a Deus. Um meio sútil que praticamos com frequência, que passa despercebido, e que não gera nenhum atrito. 

Primeiro vem o eu, nós decidimos o que queremos e nos posicionamos, então no segundo instante buscamos nas pessoas próximas o acordo e aceitação do que desejamos, e o acordo acontece naturalmente, pois temos todos a mesma estrutura, ainda que alguns discordem, se um apoia, é o suficiente. Então com a compreensão do que queremos, com a decisão tomada e com a aceitação de pelo menos um alguém de confiança, em última instância, como bons religiosos oramos e pedimos uma resposta de Deus. 

Mas veja, decidimos, escolhemos, fazemos nossa cama e por último buscamos que Deus nos diga: Deite-se! Não se preocupe que deixarei isso confortável para você, eu amenizarei os desconfortos de mudanças bruscas, vou te ajudar para que sua decisão não gere tanto danos, eu facilitarei as coisas, eu te dou o que me pede, tudo ficará como você quer, vai dar tudo certo, eu te apoio, eu me importo com sua felicidade e bem estar! Aos que temem mais, não à Deus, mas temem as consequências do que querem e se sentem acovardados e inseguros, dependendo da igreja que frequentam, o respaldo bíblico, jejuns, visitas a lugares onde "Deus fala", o encontro com algum "profeta" entram no pacote, aliás, servimos um Deus que ama os seus, que não nos desampara, e nos responde. 

Porém, esse Deus que escolhemos não é bobo, Ele não se deixar manipular por nossos planos engomadinhos, e nem vai se abalar com nossas pirraças existenciais. Ele tem uma vontade, e Ele tem poder para fazê-la acontecer, a palavra que sai da sua boca é viva e eficaz e não retorna para Ele, sem que antes cumpra o que Ele ordenou e o apraz. E Ele não responde. A quem diga que quando Deus se cala, é porque está trabalhando em nosso favor, será mesmo? Um Deus que serve o que criou? Um oleiro que faz como o barro ordena? Um carpinteiro que talha a madeira como ela pede? Que aprova meus projetos? Que te diz o que quer ouvir?. Quando Deus não responde, é porque Ele não tem parte e nem acordo com o que estamos fazendo, é porque algo não está certo. Ele responde sim, mas quem está disposto a ouvi-lo e não quem vai a Ele buscando seus próprios interesses, apoio e aprovação. Não servimos um Deus que massageia egos, servimos um Deus que transforma, que desconstrói e refaz egos. 

Essa é a essência da palavra de Deus, renúncia, obediência e amor. Ele é o centro, o criador, o autor da história, e nós, criação e personagens de seus planos. Busque respostas em Deus, mas apenas se você estiver com seu coração tomado de amor por Ele a tal ponto, que ouvi-las e obedecê-las é mais precioso do que o que você quer. Viver a vontade de Deus é parceria, é acordo entre duas existências, onde ambas concordam sem se anularem, e por amor cedem uma a outra, sem peso, sem danos, com perfeição, como várias e diferentes notas musicais se misturam e compõem as mais belas sinfonias. A nossa carne diante do nosso amor a Deus, à sua voz e vontade, cede. Ela reage as emoções primárias, mas diante do amor de Deus, ela se acalma e se submete, se o espírito humano confia. Ainda que doa, aceita. Ainda que gere desconfortos, situações indigestas, descansa. É um mistério profundo, como Cristo diante da agonia da cruz disse: se possível for, passa de mim esse cálice, todavia seja feita a tua vontade. É perder para achar, morrer para viver. 

Enquanto orava, pedi respostas a Deus, e esse texto foi o diálogo e ensino Dele para mim, e Ele concluiu nossa conversa dizendo-me: Eu te respondo e te convido a viver comigo os meus planos, espero que você me obedeça sem resistência, sem dar espaços para suas dúvidas e medos, mas preciso que você entenda que dentro da minha vontade você será incompreendida e pode ser afrontada, que viverá situações totalmente opostas aos seus sonhos e ideais, e que terá que confiar tudo que você é e quer a mim, e então? Vamos fazer do meu jeito?

Preciso assumir que todos os dias do meu relacionamento com Deus eu fiz e continuo querendo fazer tudo do meu jeito, discretamente. E quando eu oro e peço respostas e Ele fica em silêncio ou me diz o que não quero ouvir, que fico abatida e triste, porque quero desobedecê-lo por julgar e decidir que o meu jeito é o melhor. Essa é uma dura provação. Viver a vontade de Deus antes de ser ações, é ter a coragem de assumir um compromisso com Ele e se entregar ao que quer que aconteça, e diante disso, não há pernas que não tremam e coração que não vacile

Então Jesus disse aos seus discípulos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa, a encontrará. Mateus 16:25-24.