quarta-feira, 14 de junho de 2017

Meta-se!


Hoje, ao pegar a condução para vir ao trabalho, presenciei uma menina, uma criança de doze anos e feições de sete, pichando o ônibus. Minha primeira reação foi de “não se meta”, mas Deus tocou em meu coração tão profundamente me lembrando que eu sou uma adulta, que tenho Cristo como meu exemplo e que sou a Igreja de Deus neste mundo, que decidi me meter com todo amor para fazer a diferença em sua vida.

Então me aproximei e, sem escândalo, disse: “menina, pare, você está cometendo um crime!”

Ela me olhou com os olhos arregalados e logo se encolheu no canto do assento. Então conversei com ela. Perguntei seu nome e disse que não estava brigando, mas que se um policial ou alguém da empresa de ônibus a pegasse fazendo aquilo, poderia agredi-la fisicamente ou, no mínimo, com palavras horríveis e obrigá-la a limpar tudo o que havia feito. Que poderiam denunciá-la, apresentar queixa no Conselho Tutelar e trazer problemas para os seus pais.

“Você sabe que isso é um crime e é errado? Sabe que isso pode te machucar e gerar problemas?” Perguntei. Ela balançou a cabeça em afirmação, mordendo a canetinha que usava. Perguntei mais: “Você quer passar por isso? Quer encrenca para você e sua família?” Ela disse que não, e encerrei: “Então não faça isso! Não vai acrescentar nada para você hoje e no futuro, nada mesmo.”.

Sei que, ao descer no meu destino, ela pode ter continuado a fazer o errado, mas fiz a minha parte e recomendo: Adultos, se preocupem em ser exemplo e, principalmente, se preocupem em passar os valores que um dia aprenderam e que sabem o quanto fizeram e fazem diferença em sua vida. Uma criança ou adolescente sozinhos dificilmente têm coragem de fazer algo errado, mas com outros amigos podem, sim, vir a fazer. Então se preocupem com onde e com quem seus filhos andam e se estão absorvendo seus exemplos e valores. Importe-se, sim, quando vir alguma criança que não tem nenhum parentesco contigo fazendo algo errado. Interrompa, converse e aconselhe com amor.

Um dia, com a mesma idade daquela menina, eu fiz a mesma coisa, influenciada por amizades, enquanto voltava da escola para casa. Quis ser “maneira” e pichar o ônibus enquanto meus colegas gritavam uns com outros e com as pessoas na rua e se divertiam em pé nos assentos do ônibus. Também, naquele dia, um adulto se meteu e me repreendeu. Fiquei muito envergonhada e com raiva na hora, mas nunca mais repeti tal coisa e, de verdade, isso fez a diferença na minha vida. Muitos jovens estão perdidos e se perdendo, e a culpa é nossa. Ainda dá tempo, vamos fazer a diferença.

sábado, 13 de maio de 2017

A vontade de Deus


Nós vacilamos diante da vontade de Deus, nós a desejamos, mas em nosso íntimo sabemos que ela é boa, perfeita e agradável para Ele e não para nós. Sabemos que vivê-la nos trará desconfortos, nos tirará o sono, nos custará lágrimas, suor, renúncia, então nossa carne se manifesta, se debate em rebelião contra, porque o que nos interessa no fim, é sempre o que nós queremos. A carne humana, ardilosa, cria então meios de bular isso, sem ferir nossa consciência cristã e sem agredir a Deus. Um meio sútil que praticamos com frequência, que passa despercebido, e que não gera nenhum atrito. 

Primeiro vem o eu, nós decidimos o que queremos e nos posicionamos, então no segundo instante buscamos nas pessoas próximas o acordo e aceitação do que desejamos, e o acordo acontece naturalmente, pois temos todos a mesma estrutura, ainda que alguns discordem, se um apoia, é o suficiente. Então com a compreensão do que queremos, com a decisão tomada e com a aceitação de pelo menos um alguém de confiança, em última instância, como bons religiosos oramos e pedimos uma resposta de Deus. 

Mas veja, decidimos, escolhemos, fazemos nossa cama e por último buscamos que Deus nos diga: Deite-se! Não se preocupe que deixarei isso confortável para você, eu amenizarei os desconfortos de mudanças bruscas, vou te ajudar para que sua decisão não gere tanto danos, eu facilitarei as coisas, eu te dou o que me pede, tudo ficará como você quer, vai dar tudo certo, eu te apoio, eu me importo com sua felicidade e bem estar! Aos que temem mais, não à Deus, mas temem as consequências do que querem e se sentem acovardados e inseguros, dependendo da igreja que frequentam, o respaldo bíblico, jejuns, visitas a lugares onde "Deus fala", o encontro com algum "profeta" entram no pacote, aliás, servimos um Deus que ama os seus, que não nos desampara, e nos responde. 

Porém, esse Deus que escolhemos não é bobo, Ele não se deixar manipular por nossos planos engomadinhos, e nem vai se abalar com nossas pirraças existenciais. Ele tem uma vontade, e Ele tem poder para fazê-la acontecer, a palavra que sai da sua boca é viva e eficaz e não retorna para Ele, sem que antes cumpra o que Ele ordenou e o apraz. E Ele não responde. A quem diga que quando Deus se cala, é porque está trabalhando em nosso favor, será mesmo? Um Deus que serve o que criou? Um oleiro que faz como o barro ordena? Um carpinteiro que talha a madeira como ela pede? Que aprova meus projetos? Que te diz o que quer ouvir?. Quando Deus não responde, é porque Ele não tem parte e nem acordo com o que estamos fazendo, é porque algo não está certo. Ele responde sim, mas quem está disposto a ouvi-lo e não quem vai a Ele buscando seus próprios interesses, apoio e aprovação. Não servimos um Deus que massageia egos, servimos um Deus que transforma, que desconstrói e refaz egos. 

Essa é a essência da palavra de Deus, renúncia, obediência e amor. Ele é o centro, o criador, o autor da história, e nós, criação e personagens de seus planos. Busque respostas em Deus, mas apenas se você estiver com seu coração tomado de amor por Ele a tal ponto, que ouvi-las e obedecê-las é mais precioso do que o que você quer. Viver a vontade de Deus é parceria, é acordo entre duas existências, onde ambas concordam sem se anularem, e por amor cedem uma a outra, sem peso, sem danos, com perfeição, como várias e diferentes notas musicais se misturam e compõem as mais belas sinfonias. A nossa carne diante do nosso amor a Deus, à sua voz e vontade, cede. Ela reage as emoções primárias, mas diante do amor de Deus, ela se acalma e se submete, se o espírito humano confia. Ainda que doa, aceita. Ainda que gere desconfortos, situações indigestas, descansa. É um mistério profundo, como Cristo diante da agonia da cruz disse: se possível for, passa de mim esse cálice, todavia seja feita a tua vontade. É perder para achar, morrer para viver. 

Enquanto orava, pedi respostas a Deus, e esse texto foi o diálogo e ensino Dele para mim, e Ele concluiu nossa conversa dizendo-me: Eu te respondo e te convido a viver comigo os meus planos, espero que você me obedeça sem resistência, sem dar espaços para suas dúvidas e medos, mas preciso que você entenda que dentro da minha vontade você será incompreendida e pode ser afrontada, que viverá situações totalmente opostas aos seus sonhos e ideais, e que terá que confiar tudo que você é e quer a mim, e então? Vamos fazer do meu jeito?

Preciso assumir que todos os dias do meu relacionamento com Deus eu fiz e continuo querendo fazer tudo do meu jeito, discretamente. E quando eu oro e peço respostas e Ele fica em silêncio ou me diz o que não quero ouvir, que fico abatida e triste, porque quero desobedecê-lo por julgar e decidir que o meu jeito é o melhor. Essa é uma dura provação. Viver a vontade de Deus antes de ser ações, é ter a coragem de assumir um compromisso com Ele e se entregar ao que quer que aconteça, e diante disso, não há pernas que não tremam e coração que não vacile

Então Jesus disse aos seus discípulos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa, a encontrará. Mateus 16:25-24.

sexta-feira, 10 de março de 2017

"Tesouros"


Qual é seu tesouro? Esse mundo consumista nos ensina que nossa fortuna está em nossas conquistas em vida, como bens, estudos, riqueza acumulada, o homem, mulher e família dos sonhos, o corpo ideal, viagens incríveis, a felicidade constante exposta para todos, e quando não conseguimos acompanhar e ter tudo isso?

Uma geração ansiosa, frustada, invejosa e ciumenta se ergue, reclamando e amargando seus dias, pois é difícil ficar para trás. Esse é um dos ciclos que nos quebra e enfraquece, pois pedimos e aguardamos com fé as bençãos que Deus prometeu e quando nossa expectativa não é atendida, feridas de inseguranças e dúvidas podem tomar o nosso ser, destruir nossa fé e travar nossos pés de seguirem em frente.

Jesus ensinou: não acumule tesouros onde traças e ferrugens podem destruí-los ou ladrões podem roubá-los, guardem seus tesouros onde é seguro, nos céus. Não se preocupe e gaste seus dias com comparações infundadas e competições vazias, ou acumulando apenas conquistas nesse mundo, pois vai passar, enquanto o tempo segue seu fluxo essas coisas perderão o valor e brilho ou podem até ser tirado de você, se preocupe em acumular tesouros, que mesmo depois que você morrer, continuará sendo seu, não vai se desfazer, ou ser roubado, tomado ou perdido com o tempo, acumule tesouros preciosos que entram na eternidade.

Qual é o seu tesouro? No texto Jesus não diz e essa resposta no fim se torna muito individual e particular. Te desafio a refletir e responder essa pergunta e que essa caça ao seus tesouros se torne o caminho para você encontrar o seu coração, e ao achá-lo, já sabe o que fazer, deposite-o na eternidade, nas mãos do Pai, com tudo que ele tem, pois não existe lugar mais seguro e que gere  tanta paz. 

Kelly Casttro

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Ser ou parecer?

 
"Deixem que cresçam juntos até à colheita. Então direi aos encarregados da colheita: Juntem primeiro o joio e amarrem-no em feixes para ser queimado; depois juntem o trigo e guardem-no no meu celeiro." Mateus 13:30 NVI

Na parábola do joio e do trigo, podemos concluir que a ênfase está no fruto, pois é ele que define a qualidade da planta, da colheita e até do semeador. Li em algum lugar que o joio e trigo, crescendo no mesmo campo, têm suas raízes entrelaçadas, e é praticamente impossível fazer a colheita sem haver prejuízos para safra e agricultor. Arranque o joio, o trigo vem junto! Por isso, o mais prudente sempre foi deixá-los crescerem juntos, e quando os grãos despontam, faz-se a colheita. É com os grãos maduros que joio e trigo se diferem e então fica fácil separá-los. Grãos de trigo são pesados, graúdos e por ser o trigo maleável, naturalmente se curva. O joio, ao contrário do trigo, produz grãos sem peso e se mantém rígido, de pé. Grãos de trigo nos remetem à essência: é o que se é. Grãos de joio nos rementem à aparência: parece que é. Jesus afirmou que é pelos frutos que conhecemos as árvores. Pense nisto. Não pareça ser, seja o que Deus te chamou para ser.


Kelly S. Castro
Revista Elos | Devocional Diário | Ano 4 | nº.25 | Novembro.Dezembro/2015

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Os sonhos de Deus


“E ela lhe disse: "Meu senhor, juro por tua vida que eu sou a mulher que esteve aqui a teu lado, orando ao Senhor. Era este menino que eu pedia, e o Senhor concedeu-me o pedido. 1 Samuel 1:26-27 NVI

Os sonhos de Deus sempre são maiores que os nossos. Olhe o exemplo de Ana: enquanto ela queria apenas ter um filho, Deus queria um novo sacerdote e profeta para seu povo. Quando Ana entregou o seu sonho no altar do Senhor, com sinceridade e verdade, Deus o recebeu com alegria e tornou o sonho e desejo de uma simples mulher em provisão para toda uma nação. Deus a curou completamente, a agraciou com outros filhos e lhe deu muito além do seu pedido.

Os sonhos fazem parte de nós, sem eles tendemos a perder a esperança. Entregá-los e confiá-los no altar de Deus faz parte do processo de maturidade cristã e é um caminho inevitável, às vezes difícil, que no fim nos aperfeiçoa. Deus nos conhece melhor do que nós mesmos, e ele zela para que a alegria de um sonho concretizado seja não apenas nossa ou dele, mas seja também de todos que nos veem como o templo ambulante onde ele reside. Pense nisso! Deus quer te levar a uma nova realidade.


Kelly S. Castro
Revista Elos | Devocional Diário | Ano 4 | nº.25 | Novembro.Dezembro/2015

domingo, 15 de novembro de 2015

Um melhor governo


“Como é feliz a nação que tem o Senhor como Deus, o povo que ele escolheu para lhe pertencer!” Salmos 33:12 NVI 

No dia 15 de novembro de 1889, na cidade do Rio de Janeiro, então capital do império, o Brasil deixou de ser uma monarquia constitucional parlamentarista e foi proclamada República Brasileira por D. Pedro II. O processo de instauração do regime republicano teve como antecedentes as várias crises institucionais e as manifestações ideológicas que o país sofreu ao longo das décadas de 1870 e 1880 e o primeiro presidente provisório foi Marechal Deodoro da Fonseca. 

Aproveitando esse dia e relembrando parte da história, quero comentar sobre como constantemente fracassamos como governantes diante das muitas crises e conflitos no território da nossa vida. Para o Brasil a mudança na estrutura política foi necessária e às vezes na nossa vida chegamos nesse ponto, onde a mudança deve acontecer e ser proclamada, urgentemente. Deus te escolheu, hoje permita que Ele seja o seu governante e te conduza a felicidade que Ele tem em si mesmo, em sua maravilhosa presença, e no seu amor perfeito por nós. Dê a presidência de sua vida a Ele e confie na sua competência e poder para gerenciar toda sua existência. Nosso país está indo de mal a pior e talvez a sua vida também. Acredite, Deus é a solução.

Kelly S. Castro
Revista Elos | Devocional Diário | Ano 4 | nº.25 | Novembro.Dezembro/2015